Além da beleza, a sustentabilidade é a marca desses destinos.

Conheça 5 Destinos Europeus que Apostam na Sustentabilidade


A rede global de viagens de luxo Virtuoso destacou cinco destinos da Europa que incluem práticas sustentáveis entre os seus maiores atrativos. A lista é composta por destinos que promovem o turismo sustentável na Noruega, Irlanda, Eslovênia, França e Holanda.

Abrimos a nossa lista com Oslo, na Noruega. Considerada a Capital Verde da Europa para 2019, o destino ganhou o prêmio ecológico da Comissão Europeia que destacou a mitigação dos efeitos da mudança climática, transporte local e biodiversidade. Em Oslo há uma floresta protegida de 70 quilômetros quadrados, localizada a menos de oito quilômetros do centro da cidade. Além de ser um ponto de partida para cruzeiros de fiordes, a cidade tornou-se um lugar mais atrativo com restaurantes Michelin, bairros tranquilos e atividades de natureza. 

Burren, na Irlanda. Parte de uma rede dedicada à preservação do patrimônio geológico mundial, o local inclui o Parque Nacional Burren, que reúne túmulos neolíticos e os Penhascos de Moher, por mais de 17 quilômetros ao longo da costa do Atlântico. Empresas locais passam por treinamento de dez pontos em Turismo sustentável. Em 2017, o geoparque tornou-se parte da Rota Atlântica Europeia do Geoturismo, que liga paisagens geridas de forma sustentável.

Bled-Vale Bohinj, na Eslovênia. O país oferece vales verdejantes, lagos e nascentes termais com destaque para dois lugares chamados de Pérolas Alpinas. O primeiro deles é Bled, retiro histórico à beira de lago coberto pelos Alpes Julianos cobertos de neve e o outro fica no vizinho Vale Bohinj (foto), uma série de regiões montanhosas dentro do Parque Nacional de Triglav. Além disso, o país tem tradições culinárias tradicionais, incluindo os vinhos produzidos a partir da uva teran eslovena.

Bretanha, na França. A região oferece aldeias medievais construídas em pedra e imponentes castelos. Desde 2006, o Comitê Regional de Turismo da Bretanha tem investido pesado em desenvolvimento sustentável, incluindo a construção de quase 1,3 mil milhas de caminhos para ciclistas e pedestres. O destino também trabalhou recentemente com 20 restaurantes para reduzir o desperdício de alimentos.

Nijmegen, na Holanda. Capital Verde de 2018 da Europa, a cidade mais antiga da Holanda foi pioneira na adoção de energia sustentável, usando turbinas eólicas para gerar energia para 10% dos moradores com o objetivo de se tornar neutra em energia até 2045. As rotas verdes da região incentivam o ciclismo e a caminhada, e está em andamento um projeto para criar cadeiras e bancos públicos a partir de lixo eletrônico.

Ecopass: a construir um mundo melhor.

Imagens: reprodução Creative Commons Zero (CC0) License.

TOP10 Lonely Planet.

Os Melhores Destinos da Europa 2019


Em busca dos melhores lugares para se visitar este ano, os especialistas da Lonely Planet exploraram litorais remotos, cidades agitadas e regiões pouco conhecidas da Europa.

De florestas frequentadas por ursos a cidades cercadas de vinícolas, a Lonely Planet elaborou o seu TOP10 de destinos que estão em alta no momento. A partir de uma mistura de clássicos revigorados e maravilhas inexploradas, todos esses destinos estão prontos para ganhar os holofotes e promover novas experiências no Velho Continente.

 “Sejam os clássicos destinos favoritos com algo novo a oferecer, sejam aqueles dos quais você nunca ouviu falar, todos esses devem entrar na lista de qualquer viajante”, afirmou Tom Hall, VP de Experiências da companhia, sobre a escolha dos programas.

Confira a lista completa:

1. Montanhas Tatra, Eslováquia – por causa da natureza selvagem

Ursos pardos europeus vivem felizes na paisagem acidentada das montanhas Tatra, na Eslováquia. © vencavolrab / Getty Images

2. Madri, Espanha – pela agitada vida noturna

O renomado Museo del Padro celebra seu bicentenário em 2019 © Rodrigo Garrido / Shutterstock

3. Rota da Costa Ártica, Islândia – em razão das paisagens impressionantes

A rota da Costa Ártica é a nova febre turística da Islândia. © WanRu Chen / Getty Images

4. Herzegovina, Bósnia e Herzegovina – belas paisagens que rendem excelentes fotos

Aventure-se para além de Mostar e descubra outros destaques da Herzegovina. © Anna Gorin / Getty Images

5. Bari, Itália – pelo processo de revitalização dos pontos históricos

O reinaugurado Teatro Margherita é um dos pontos centrais da revitalização de Bari. © Dimitar Chobanov / Alamy Stock Photo

6. Shetland, Escócia – o ponto mais ao Norte do Reino Unido

A paisagem de Shetland é tão impressionante que é preciso ver para acreditar. © Peter Burnett / Getty Images

7. Lyon, França – sede da final da Copa do Mundo de Futebol Feminino

Em 2019, Lyon ganhará os holofotes do mundo todo. © kavalenkava / Shutterstoc

8. Liechtenstein – um dos menores países do continente, onde é possível atravessá-lo em um final de semana

O castelo Vaduz é o lar do príncipe de Liechtenstein. © Boris Stroujko / Shutterstock

9. Vevey, Suíça – sede do Fête des Vignerons, tradicional festival de vinhos realizado a cada 20 anos

A bela Vevey está se arrumando para uma grande festa em 2019

10. Istria, Croácia – uma encantadora península em formato de coração

Praias, história e ótima comida – Istria tem algo para todos. © Enrico14 / Shutterstock

Escolha o seu destino, faça as malas e boa viagem!

Ecopass: a construir um mundo melhor.

Imagem principal: Montanhas Tatra – reprodução Jacekson on DeviantArt.

O futuro do vinho será debatido por especialistas internacionais.

Wine Summit 2019 Reúne Especialistas em Cascais


A terceira edição do Must Fermenting Ideas Wine Summit 2019 acontece no Centro de Congressos do Estoril entre 26 e 28 de Junho. O evento assume-se como um “local de fermentação de ideias, um espaço de troca de experiências e diálogo sobre o futuro do mundo do vinho”.

Durante os três dias do evento vão estar reunidos alguns dos maiores especialistas mundiais, oradores, jornalistas, agentes de enoturismo e convidados vindos dos cinco continentes para discutir aquilo que os une: o vinho.

A forma como se comunica o vinho hoje tem sido outro tema constante nas edições do Must. A deste ano terá como orador Paul Mabray, que depois de vinte anos ligado à indústria do vinho, se tornou recentemente especialista em redes sociais e fará uma apresentação intitulada “Ouvir, Mudar, Adaptar e Transformar, as Palavras-Chave do Vinho”.

O primeiro dia começa com uma apresentação de Adam Lechemere, jornalista freelance e editor da revista Club Oenologique, que lança uma pergunta: “Poderá o enoturismo existir sem o envolvimento dos produtores?”. O enoturismo tem, aliás, sido outro tema muito presente no Must, tal como as questões ambientais, que desta vez passarão pela palestra da jornalista e activista Valèry Laramée de Tannenberg, que irá apresentar o Projecto Bordeaux 2050, uma iniciativa académica sobre alterações climáticas, que resultou num vinho futurista que prevê um conjunto de alterações possíveis naquela que é a mais famosa região de vinhos do mundo, naturalmente preocupada, como muitas outras, com o aquecimento global.

Após a edição deste ano, um grupo de 30 pessoas especializadas na área do vinho vai visitar a Ilha do Pico e a Horta, nos Açores, entre 29 e 30 de Junho. Para a Diretora Regional do Turismo dos Açores, Cíntia Martins, “esta viagem é um veículo que privilegia a promoção do vinho da Ilha do Pico e da região dos Açores”.

Ecopass: a construir um mundo melhor.

Imagem: reprodução Creative Commons Zero (CC0) License.

Alerta ligado: a cada ano o Overshoot Day está a chegar mais cedo...

Europa Esgota “sua Parcela” de Recursos Naturais Nesta Sexta-Feira


Segundo relatório da WWF e Global Footprint Network, a Europa consumirá a “sua parcela” de recursos naturais do planeta nesta sexta-feira, 10 de maio. O Velho continente está a consumir recursos naturais mais rapidamente que a capacidade do planeta de se reabastecer durante o ano.

Serão necessários 2,8 planetas para estender a taxa de consumo da UE de combustíveis, alimentos, fibras, terra e madeira a todas as pessoas do mundo, de acordo com dados coletados pelo WWF e pela Global Footprint Network.

O alarmante relatório segue uma advertência de um painel da ONU de que a escala e o ritmo da perda de biodiversidade estão agora colocando em risco os fundamentos da própria sociedade humana.

Ester Asin, Diretor do Escritório Europeu de Política da WWF, disse que “o Overshoot Day da UE é um lembrete gritante de que o consumo da UE está contribuindo para o iminente colapso ecológico e climático da Terra. Isso não é apenas irresponsável, é completamente perigoso. É necessária uma ação urgente e os líderes da UE devem reunir a vontade política para tratar esta situação como uma emergência e nos colocar no caminho de um futuro sustentável para a Europa”.

Se a UE fosse um país, teria a terceira maior pegada ecológica do mundo, atrás dos EUA e da China. Enquanto a Europa representa apenas 7% da população mundial, ela explora um quinto de sua biocapacidade, principalmente por meio de emissões de gases do efeito estufa, o que proporcionalmente representa uma pegada muito grande.

Seriam necessários 2,8 planetas para suprir o padrão de consumo da população mundial caso esta adotasse o estilo de vida da UE. – Imagem: reprodução Global Footprint Network Network (via Twitter).

A importação de produtos como óleo de palma, soja, cacau e borracha de partes desmatadas da América Latina, África e Ásia também tem forte impacto sobre a biodiversidade e a natureza.

Para Mathis Wackernagel, fundador e Presidente da Global Footprint Network, “estamos executando um esquema de pirâmide, tomando recursos do futuro para administrar a economia atual. Não precisa de lembrar que isso é arriscado para a prosperidade da Europa. A escolha de esgotar o nosso futuro não nos serve ”.

Em escala global, o Overshoot Day para a Terra é esperado em cerca de três meses, embora chegue mais cedo a cada ano. As datas de overshoot são calculadas pela média da pegada ecológica dos cidadãos em cada país e comparando-a com a biocapacidade anual da Terra para restaurar sua riqueza natural esgotada. O Overshoot Day da Europa está cinco meses mais cedo do que em 1961, quando conseguiu viver de forma sustentável até 13 de outubro.

Em tempo, e também como resposta aos recentes protestos contra a inação face às alterações climáticas, oito países da UE apelam a uma estratégia ambiciosa e propõem investir 1/4 do orçamento do bloco para combater a mudança do clima através do fomento a pesquisas, projetos e ações sustentáveis.

A iniciativa é liderada pela França e pela Holanda, que defendem o fim total das emissões de gases com efeito de estufa no território da união, o mais tardar até 2050, bem como as compensações dessas emissões.

França, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Luxemburgo, Portugal, Espanha e Suécia querem dar respostas claras aos jovens que se têm mobilizado por todo o continente contra a apatia dos políticos.

Ecopass: a construir um mundo melhor.

Imagem principal: reprodução Creative Commons Zero (CC0) License.

Lisboa recebe as celebrações do Dia Europeu do Mar.

‘Turismo Sustentável, Comunidades Costeiras’ Será um dos Temas Debatidos nas Comemorações do Dia Europeu do Mar, em Lisboa


Celebrado anualmente no dia 20 de Maio, o Dia Europeu do Mar tem como principal objetivo destacar o papel fundamental que os oceanos e os mares assumem na vida das comunidades costeiras e de todos os cidadãos da União Europeia, assim como no domínio do crescimento sustentável e do emprego na Europa.

Esta celebração anual foi oficialmente lançada em 2008 em Estrasburgo quando, à época, os Presidentes do Parlamento Europeu, do Conselho Europeu e da Comissão Europeia assinaram uma declaração comum tripartida, estabelecendo a data.

Neste ano, Lisboa acolhe o Dia Europeu do Mar. Para comemorar a data, nos dias 16 e 17 de maio, ocorrerá no Centro de Congressos de Lisboa um evento que tem como tema ‘Empreendedorismo, Inovação e Investimentos Azuis’ e onde será debatido o ‘Turismo Sustentável, Comunidades Costeiras’, entre outros assuntos importantes.

A sessão de abertura, prevista para as 9h, vai contar com a presença de Fernando Medina, Presidente da Câmara de Lisboa, Ana Paula Vitorino, Ministra do Mar e Karmenu Vella, Comissário Europeu para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas. ‘O Oceano é Minha Missão’ é o tema que abre os trabalhos da manhã, com um painel de oradores a discutir ‘O que Vem pela Frente e o que Está em Jogo nos Oceanos’.

 A celebração em Lisboa vem reforçar a importância estratégica deste recurso para Portugal, enquanto fator decisivo para o impulso da economia portuguesa e intensificar o compromisso em fomentar uma melhor gestão das zonas costeiras, dos mares e dos oceanos por todos os cidadãos e intervenientes em causa. O dia 20 de maio é um dia com especial importância simbólica para Portugal, pois representa o dia em que Vasco da Gama chegou à Índia.

Ecopass: a construir um mundo melhor.

Imagem: reprodução Creative Commons Zero (CC0) License.