Confira o Nosso TOP 5 dos Destinos que Prometem Fazer Sucesso.

MELHORES DESTINOS PARA 2020


2019 foi um bom ano para o turismo, sobretudo na Europa. 2020 está a bater à porta e promete manter a tendência de alta no setor. Então elaboramos um TOP 5 dos destinos que prometem atrair muitos turistas.

Japão

O País do Sol Nascente combina o estilo moderno com o tradicional, além de belas paisagens. Tóquio sediará os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020 e isso, por si só, já garante um aumento no número de visitantes.

Templo Kyomizudera, em Kyoto – créditos: Stuck in Customs Creative Commons.

Amazônia

A região da floresta amazônica (a parte brasileira) dominou os noticiários neste ano de 2019, infelizmente com pautas negativas. Mas é justamente por esse motivo que atraiu os olhares de pessoas do mundo inteiro e a tendência é de crescimento no número de turistas.

Vista aérea da Estação Ecológica de Anavilhanas, no rio Negro acima de Manaus, Amazonas, Brasil – créditos: Instituto Amazônia | reprodução.

Egito

Depois da Primavera Árabe, os preços para visitar o Egito ficaram mais acessíveis. Monumentos milenares como as pirâmides, a esfinge, os templos e cidades históricas são os principais atrativos desse país encantador.

As pirâmides de Gizé estão entre os atrativos mais visitados do mundo – créditos: Thinkstock | reprodução.

Portugal

Eleito pelo terceiro ano consecutivo o Melhor Destino Turístico do Mundo (World Travel Awards), Portugal não poderia ficar de fora da nossa lista e continuará a receber mais visitantes de várias partes do mundo.

Lisboa conquista pela beleza, excelente gastronomia, cultura e receptividade da população local – créditos: Luiz Roberto.

Ruanda

Depois de anos de guerra e genocídio, Ruanda tem se consolidado entre os adeptos do turismo de luxo, além dos que gostam de contato com a Natureza.

Gorilas-das-montanhas atraem turistas de alto luxo para Ruanda – créditos: Fabrice Guerin | Biosphoto.

Agora basta escolher o destino e fazer as malas. Mas não esqueça de compensar as emissões de CO2 das viagens com o Ecopass. Cada árvore financiada representa uma real possibilidade de melhoria da qualidade de vida para muitas famílias, pois todos os integrantes da nossa cadeia de plantio são de comunidades tradicionais, como indígenas, assentamentos rurais e outros povos da floresta. Além disso, ao fazer a compra de árvores com o Ecopass, você pode desfrutar de descontos e outras vantagens em estabelecimentos comerciais parceiros em Portugal, Brasil e outros países como forma de bonificação por sua atitude sustentável. Então faça o download gratuito, plante e junte-se a nós na construção de um mundo melhor. E feliz 2020!!!

TIME FOR ACTION – Esse Era o Slogan da COP 25, Mas a Ação Foi Postergada para a Próxima COP, em 2020...

COP 25 ENCERRA EM CLIMA DE FRUSTRAÇÃO


Com informações da BBC News.

As mais longas negociações climáticas da história das Nações Unidas finalmente chegaram ao fim em Madri e deixam como primeiro resultado um acordo de compromissos – ao mesmo tempo em que postergam decisões importantes para o encontro do ano que vem.

Quase 200 países participaram da Cop-25 (conferência do clima da ONU). Exaustas após madrugadas seguidas de negociações, as delegações presentes no encontro conseguiram chegar a um acordo sobre a questão crucial de aumentar a mobilização global por cortes nas emissões de carbono e endurecer metas.

Segundo o pacto, todos os países precisarão apresentar novas promessas climáticas na próxima grande conferência prevista para o ano que vem em Glasgow. Mas soluções para outras questões controversas, incluindo os chamados mercados de carbono (a possibilidade de países que emitem menos carbono ‘venderem’ créditos de CO2 às nações mais poluentes) foram adiadas até a próxima reunião.

Todos os países precisarão apresentar novas promessas climáticas na próxima grande conferência prevista para o ano que vem em Glasgow – créditos: UNclimatechange via Flickr.

Chegando até a bloquear o acordo temporariamente, o Brasil foi um dos principais obstáculos à assinatura do documento – cuja assinatura foi atrasada em 2 dias. Após esse período (dois dias e duas noites extras de negociações), delegados presentes na conferência definiram um acordo que prevê a apresentação de metas novas e mais ambiciosas de cortes nas emissões de carbono para o encontro que acontecerá em Glasgow.

Todos os países presentes deverão dar respostas efetivas ao vácuo entre o que os cientistas dizem ser necessário para evitar mudanças climáticas perigosas e as medidas tomadas atualmente – que no ritmo em que estão levariam o mundo a ultrapassar o limite para mudanças irreversíveis já nos anos 2030. Apoiado pela União Europeia, o estímulo a metas mais ambiciosas teve a oposição de países como Brasil, Estados Unidos, Índia e China. No entanto, o acordo conseguiu ser assinado prevendo que as nações mais ricas tenham que provar que cumpriram suas promessas sobre mudanças climáticas nos anos anteriores a 2020.

Brasil ganha 2º prêmio ‘Fóssil do Dia’ na COP 25 por ‘legitimar a grilagem de terras e a anistia do desmatamento’ – créditos: 350.org | reprodução.

O fato é que o relógio está correndo e o tempo para ação está se esgotando. Os países precisam ir além de cumprir os compromissos firmados e aumentar o nível de ambição no corte de emissões. O cumprimento das metas de redução de emissões, bem como o aumento delas, depende de vontade política de cada país. Mas nós, enquanto cidadãos, podemos fazer agir pressionando os governos e adotando práticas em favor do meio ambiente, como mudar os nossos padrões de consumo e plantar árvores, a forma mais eficiente, cientificamente comprovada, de sequestrar CO2 da atmosfera.

Nesse sentido, o Ecopass é uma ferramenta mais prática e está ao alcance de cada um de nós. Basta fazer o download gratuito na Apple Store e Google Play e financiar o plantio de árvores de espécies nativas da Mata Atlântica brasileira em áreas georreferenciadas. Cada árvore financiada representa uma real possibilidade de melhoria da qualidade de vida para muitas famílias, pois todos os integrantes da nossa cadeia de plantio são de comunidades tradicionais, como indígenas, assentamentos rurais e outros povos da floresta. Além disso, ao fazer a compra de árvores com o Ecopass, o nosso usuário pode desfrutar de descontos e outras vantagens em estabelecimentos comerciais parceiros em Portugal, Brasil e outros países como forma de bonificação por sua atitude sustentável. Então faça o download do Ecopass, plante e junte-se a nós na construção de um mundo melhor.

Imagem principal – créditos: CNN | reprodução.

Certificação Atendeu aos Critérios do Global Sustainable Tourism Council.

AÇORES SÃO A PRIMEIRA REGIÃO DE PORTUGAL CERTIFICADA COMO DESTINO TURÍSTICO SUSTENTÁVEL


Com informações da Lusa.

Os Açores são a primeira região do país certificada como destino turístico sustentável, distinção atribuída a apenas 13 regiões no mundo e entregue no último dia 05 de dezembro de 2019 com a categoria de “Prata” pela certificadora Earthcheck.

“É com profundo orgulho que hoje podemos dizer que os Açores são certificados como destino turístico sustentável. Somos o primeiro e único arquipélago do mundo com esta certificação. Somos a única região do país com esta certificação. Estamos na linha da frente”, adiantou a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro.

A governante falava na sessão de abertura do congresso anual do Global Sustainable Tourism Council, que reúne cerca de três centenas de participantes de 42 nacionalidades em Angra do Heroísmo, na ilha Tecreira.

O EarthCheck é um grupo internacional de certificação e consultoria de benchmarking científico em viagens e turismo, com atividade desde 1987. A certificação respondeu aos critérios do Global Sustainable Tourism Council (Conselho Global de Turismo Sustentável), organismo internacional de acreditação para a certificação de turismo sustentável.

O processo de certificação dos Açores iniciou-se em 2017, proclamado pelas Nações Unidas como Ano Internacional do Turismo Sustentável. “No final deste processo, reforço: foram dois anos de muito trabalho, aquele que nos permite hoje fazer parte de um conjunto de 13 regiões do mundo e de apenas oito países com esta certificação”, frisou a titular da pasta do Turismo nos Açores.

A certificação atendeu aos critérios do Global Sustainable Tourism Council, organismo internacional de acreditação para a certificação de Turismo Sustentável – Azores Gateways | reprodução.

Questionada pelos jornalistas à margem do evento sobre as vantagens desta certificação, Marta Guerreiro salientou que a distinção vai permitir “não só internamente despertar os agentes do setor para a importância de posicionarem os seus negócios e as suas áreas dentro destas práticas”, mas também que os Açores consigam captar “segmentos que valorizam as preocupações na área da sustentabilidade”.

A Secretária Regional destacou, por outro lado, a responsabilidade que a distinção acarreta, alegando que os Açores têm “a obrigação” de cuidar do seu património. “Estamos a juntar nesta matéria uma oportunidade de crescimento fantástica que temos pela frente com a nossa responsabilidade de garantirmos que deixamos este território tão bem ou melhor cuidado quanto o recebemos”, salientou.

A certificação é válida por um ano, mas a tutela pretende não só mantê-la como subir de patamar. “Este é o primeiro que é possível alcançar quando se faz a certificação – o  Silver (Prata) – mas com a permanência na certificação e com a evolução dos indicadores que são analisados temos condições para ambicionar mais. Não é um dado adquirido, exige trabalho de continuidade”, afirmou Marta Guerreiro.

Numa primeira fase, após um levantamento exaustivo de dados quantitativos e qualitativos, como emissões de gases com efeitos estufa, resíduos, gestão de água, conservação dos ecossistemas e gestão cultural, a região recebeu o estatuto de Bronze.

“Entre muitos outros parâmetros, fomos considerados o destino de referência com a mais alta percentagem de área de conservação de ‘habitats’ e o destino de referência com a mais alta percentagem de área verde”, revelou a secretária regional na abertura do congresso.

Com validade de um ano, a Certificação foi na categoria Prata. Mas o Turismo dos Açores pretende não só mantê-la como subir de patamar – NIT | reprodução.

A fase seguinte envolveu “a definição de um conjunto de compromissos sustentáveis” por parte do Governo Regional e de agentes privados, bem como uma auditoria no local da Earthcheck, com visitas às ilhas de São Miguel, Terceira e Flores. Entre janeiro e setembro de 2019, a atividade turística nos Açores cresceu 17%, ultrapassando o número de dormidas do ano anterior (2,5 milhões) e o executivo açoriano estima que até ao final do ano esse número se aproxime dos 3 milhões.

A Secretária Regional sublinhou, no entanto, que a estratégia da região não passa por um turismo de massas, mas por um crescimento “de forma sustentável e em pleno respeito pela preservação da natureza e do ambiente”.

O Ecopass parabeniza o Turismo dos Açores por esta importante conquista e reforça o compromisso de promover a sustentabilidade do sector, sobretudo através da compensação das emissões de gases de efeito estufa do transporte aéreo. Nesse sentido, disponibilizamos a nossa aplicação como a ferramenta mais prática para o cálculo e compensação das emissões, onde o nosso usuário pode desfrutar de descontos e outras vantagens junto a nossos parceiros comerciais em Portugal, Brasil e outros países. Além disso, cada árvore comprada representa uma real possibilidade de melhoria da qualidade de vida para muitas famílias, pois todos os integrantes da nossa cadeia de plantio são de comunidades tradicionais, como indígenas, assentamentos rurais e outros povos da floresta.

Então, ao visitar os Açores, faça o download gratuito do Ecopass, calcule vossas emissões de Carbono, plante árvores e junte-se a nós na construção de um mundo melhor.

TIME FOR ACTION – Com Esse Slogan, Que Fala Por Si Só, A COP 25 Tem Como Maior Objetivo Aumentar A Ambição Climática.

COP 25: CONFERÊNCIA DA ONU ABRE EM MADRID


Com informações da ONU News.

Governos de todo o mundo se reúnem a partir desta segunda-feira em Madri, Espanha, para participar na Conferência da ONU sobre o Clima, COP 25, que encerra no dia 13 de dezembro.

À medida que a emergência climática se intensifica e as emissões de gases de efeito estufa continuam a crescer, as Nações Unidas pretendem decidir quais os próximos passos para combater esta ameaça.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursou na cerimônia de abertura e faz um apelo aos líderes mundiais para que aumentem sua ambição para alcançar as metas estabelecidas no Acordo de Paris. Guterres também pediu que adotem as últimas regras sobre a implementação desse acordo. O chefe da ONU terá encontros com jovens ativistas e se reunirá com vários líderes mundiais.

Em nota, a secretária-executiva da Convenção da ONU sobre Mudança Climática, Patrícia Espinosa, lembrou que no último ano foi possível “ver os impactos acelerados da mudança climática, com secas crescentes, tempestades e ondas de calor.” Segundo ela, esses fenômenos tiveram “consequências terríveis para a erradicação da pobreza, saúde humana, migração e desigualdade.”

Espinosa afirmou ainda que “a pequena janela de oportunidade do mundo para lidar com as mudanças climáticas está se fechando rapidamente.” Para ela, “é necessário implantar, com urgência, todas as ferramentas da cooperação multilateral e tornar a COP 25 a plataforma de lançamento de mais ambição climática.”

Um dos principais objetivos do encontro é concluir vários aspectos importantes da operacionalização do Acordo de Paris. No ano passado, na COP 24, na Polônia, os países-membros concordaram com a maior parte dessas regras. No entanto, ainda é preciso concluir a negociação sobre o Artigo 6, que determina como funcionarão os mercados internacionais de clima.

Outros temas na agenda são adaptação, perdas e danos, transparência, finanças, capacitação, questões indígenas, oceanos, florestas e gênero. Também será discutido o fornecimento de financiamento e tecnologia para países em desenvolvimento.

Sobre esse tema, Espinosa pediu aos Estados-membros que cumpram a promessa de atribuir US$ 100 bilhões anualmente aos países em desenvolvimento para que estes façam investimentos na área do clima. Afirmando que é necessária “uma mudança radical”, a secretária-executiva pediu que “os fluxos financeiros globais reflitam a transformação profunda que é precisa.” Em 2020, os países devem submeter planos nacionais de ação climática atualizados.

Amazônia em chamas: número de focos de queimadas em 2019 é 196% maior que em 2018 e supera média histórica do Brasil – Victor Moriyama | Greenpeace | AFP | JC.

De acordo com o último Relatório de Emissões do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, as emissões globais de gases de efeito estufa precisam cair 7,6% ao ano entre 2020 e 2030. Se isso não acontecer, o mundo não alcançará a meta de limitar o aumento de temperatura a 1.5°C.

Para isso ser possível, a ambição das medidas e cortes previstos nos planos nacionais precisa ser cinco vezes maior. Isso significa reduzir as emissões em 45% até 2030 e atingir a neutralidade de emissões até 2050. Espinosa afirmou que este “é um desafio extremamente difícil, mas absolutamente necessário.”

A COP 25 acontece sob a presidência do governo do Chile, mas com o apoio logístico do governo espanhol. Em outubro, o Chile desistiu de receber o evento na sua capital devido à situação de instabilidade no país.

Lembramos que a princípio a COP 25 seria realizada no Brasil, mas logo após a vitória nas eleições em 2018 o Jair Bolsorano anunciou que o Brasil não sediaria o evento. Infelizmente, desde então, o Brasil tem promovido um desmonte de sua governança climática, sobretudo dos órgãos de fiscalização, e como resultado os números do desmatamento e queimadas na Amazônia e outros biomas atingiram níveis recordes e, por este motivo, o Brasil chega desprestigiado nessa edição da COP, em contraste com a posição de liderança em anos anteriores.

Durante os próximos dias traremos as principais notícias da COP 25. Continue ligado no nosso Ecoblog. Ecopass, com você a constuir um mundo melhor.