O ranking dos maiores mercados de aviação terá algumas mudanças nos próximos anos (IATA).

Número de passageiros de companhias aéreas no mundo deve dobrar em 2037 e atingir 8,2 mil milhões


Segundo estimativa da Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA), o número de passageiros de companhias aéreas pode dobrar para 8,2 mil milhões em 2037, impulsionado pela forte demanda na Ásia, com a China ultrapassando os Estados Unidos na primeira posição.

Entre os principais mercados globais de aviação, a IATA projeta que a China será o maior mercado de passageiros no mundo até 2037, com a adição de 1 mil milhão de passageiros, chegando a 1,6 mil milhão por ano. Logo depois vem os Estados Unidos, com um aumento de 481 milhões de passageiros em 20 anos, chegando a 1,3 mil milhão por ano.

A Índia terá um aumento de 414 milhões de passageiros para 572 milhões até 2037. a Indonésia passará de 282 milhões para 411 milhões e a Tailândia vai crescer de 116 milhões para 214 milhões de passageiros. A IATA observou que há um reordenamento geográfico do tráfego aéreo mundial para o Oriente, onde  a região Ásia-Pacífico vai ampliar o total de passageiros em 2037 para 3,9 mil milhões, num crescimento anual de 4,8% – o mais alto no mundo.

O ranking dos maiores mercados de aviação terá algumas mudanças nos próximos anos (IATA)

Na Europa, o crescimento médio esperado é de 2% ano, com o aumento de 611 milhões de passageiros para 1,9 mil milhão. No Oriente Médio, o crescimento estimado é de 4,4% ao ano, atingindo 501 milhões de passageiros em 2037. Na África, o aumento médio será de 4,6% ano chegando a 334 milhões de passageiros em 2037.

Na América Latina, o aumento médio será de 3,6% ao ano chegando a 731 milhões em 2037, com o Brasil ultrapassando o Japão nos próximos 20 anos e ocupando a quinta posição no ranking global de passageiros.

A IATA destaca também a necessidade dos aeroportos e controles de tráfego aéreo se planejar desde já para atender a essa demanda, com a participação de governos e operadoras de infraestrutura. Mas, além da preocupação com a infraestrutura aeroportuária, não podemos esquecer a questão ambiental, pois aumentando o número de viagens e passageiros, aumenta também o volume de emissões de gases de efeito estufa.

Atualmente, o transporte aéreo responde por 980 milhões de tCO2e e dobrando o número de passageiros em 2037 as emissões de gases de efeito estufa atingirão a marca de 1,96 mil milhões de tCO2e. Diante desse preocupante cenário, os governos, companhias aéreas e sociedade deverão assumir a sua parcela do problema.

Aos primeiros, cabe investir no desenvolvimento de novas tecnologias e combustíveis menos poluentes, além de promover a compensação das suas emissões. E nós, passageiros, também podemos e devemos fazer a compensação das nossas emissões de gases de efeito estufa, afinal, alimentamos essa crescente demanda. Nesse ponto, o Ecopass apresenta-se como a forma mais eficiente e confiável, onde ao fazer a compensação, o viajante pode aproveitar os benefícios da Rede Ecopass.

Faça a sua parte e junte-se a nós na construção de um mundo melhor.

A Topas Ecolodge, pousada no Vietname com bangalôs tipo chalés construídos de pedra e uma incrível piscina de borda infinita, foi incluída na lista de “Hospedagens Exclusivas do Mundo”, da National Geographic.

Pousada no Vietname é Incluída na Lista de Hospedagens Exclusivas do Mundo, da National Geographic


A Topas Ecolodge, pousada no Vietname com bangalôs tipo chalés construídos de pedra e uma incrível piscina de borda infinita, foi incluída na lista de “Hospedagens Exclusivas do Mundo”, da National Geographic. 

Fotos: divulgação Topas Ecolodge

Mas essa não foi a única razão para a Topas Ecolodge figurar na lista, pois o charme desta pousada está em sua localização. Cercada por montanhas e vasta vegetação, a pousada está dentro do Parque Nacional Hoang Lien, próximo da cidade de Sapa, no Vietname, que faz fronteira com a China. Outra particularidade do local é que na região vivem vários grupos étnicos minoritários.

Além disso, a Topas Ecolodge tem uma pegada sustentável que faz toda a diferença em favor do meio ambiente, onde a pousada reutiliza o máximo possível de resíduos e criou o próprio sistema de reciclagem. Da mesma forma, as águas residuais da cozinha e da lavanderia são tratadas biologicamente antes de entrarem nos campos de arroz e as águas residuais dos bangalôs são tratadas e purificadas por meio de sistemas de filtragem orgânica em tanques sépticos.

Já em relação à energia elétrica, a pousada utiliza um mix de fonte solar e hidrelétrica, onde são trabalhadas ações de eficiência energética, como o oferecimento de um número mínimo de dispositivos eletrônicos e uso de lâmpadas com ecoeficientes nas dependências do estabelecimento.

A Responsabilidade Social também é outro fator positivo da Topas Ecolodge. Os responsáveis pelo empreendimento afirmam que buscam sempre trabalhar em parceria com a comunidade local. A prova disso é que quase todos os 100 trabalhadores empregados são de aldeias da região e a pousada busca também auxiliar na formação educacional dos colaboradores. 

Fora isso, quase toda a comida servida na pousada é comprada no mercado local, nas lojas ou diretamente dos agricultores da montanha, onde o menu sempre contém vegetais, frutas e peixes frescos e sazonais.

Todos esses fatores fazem da Topas Ecolodge um empreendimento sócio e ambientalmente responsável – além do mais, o local é incrivelmente belo.

Falta pouco para o início da Bienal de Turismo de Natureza (BTN'19), de 22 a 24 de fevereiro em Aljezur.

Bienal de Turismo de Natureza Terá Recinto Sustentável


Falta pouco para o início da Bienal de Turismo de Natureza (BTN’19), de 22 a 24 de fevereiro em Aljezur. A novidade é que essa edição terá um recinto sustentável, amigo do meio ambiente e totalmente livre de plástico, numa parceria da Vicentina com a Algar.

O objetivo do evento, que vai juntar profissionais do turismo, empresários e outros stakeholders do setor, é lançar a sustentabilidade como ponto de reflexão para o desenvolvimento do território nos próximos anos.

Todos os espaços da feira, incluindo os stands instalados no Espaço Multiusos de Aljezur, foram construídos a partir de caixas de cartão que serão posteriormente recolhidos pela Algar para reciclagem. A gestão de resíduos também cumprirá as normas de adesão a eco evento.

Luigi Cabrini, presidente do Global Sustainable Tourism Council e ex-diretor do Programa de Turismo Sustentável da Organização Mundial de Turismo, é uma das presenças confirmadas. Da mesma forma, estão também confirmados Ana Garcia, presidente da Accessible Portugal, António Carlos Duarte, coordenador do Geoparque Arouca, Catarina Gonçalves, coordenadora nacional do Programa Bandeira Azul da Associação Bandeira Azul da Europa, ou Patrícia Araújo, CEO da Biosphera Portugal, que se encontra a trabalhar na certificação da Região do Alentejo.

Ecopass: a construir um mundo melhor.

A atividade turística possibilita movimentar a economia de uma região, já que os visitantes se hospedam, se alimentam, fazem alguma atividade de lazer ou negócios e consomem produtos e serviços.

Como Ser um Turista Sustentável


A atividade turística possibilita movimentar a economia de uma região, já que os visitantes se hospedam, se alimentam, fazem alguma atividade de lazer ou negócios e consomem produtos e serviços.

Mas, assim como todas as outras atividades humanas, o turismo gera impactos sociais e ambientais, onde os turistas sustentáveis procuram deixar um impacto positivo na natureza e comunidade local dos destinos visitados.

Se você deseja ser um turista sustentável confira as nossas dicas e aproveite o seu destino da melhor forma possível:

Antes da Viagem

• Antes de fazer a mala, o turista deve pensar no que deve levar na bagagem, já que a quantidade de itens pode aumentar o impacto da viagem nas emissões de gases de efeito estufa e produção de resíduos;

• Uma alternativa é tentar não levar de casa nada que possa encontrar no destino final e comprar produtos de higiene ou alimentos nos mercados locais. Ao tomar essas atitudes, o turista contribuirá com a geração de empregos e aumento da renda dos moradores locais;

• Tenha muito cuidado com pilhas, baterias e outros resíduos eletrônicos, pois eles contêm materiais tóxicos que contaminam a água e o solo quando descartados de forma inadequada. O indicado é jamais jogar esse material no lixo comum e depositar esses itens em coletores específicos. Caso não encontre local adequado para depositá-los, o recomendável é trazê-los de volta;

• Retire as mercadorias das embalagens antes de viajar. Além de produzir menos lixo, o turista irá deixar sua bagagem menos volumosa e mais leve;

• Dê preferência a xampus e sabonetes líquidos ecologicamente corretos. Isso mantém as fontes de água potável, rios e mares livres de poluição.

Durante a Viagem

• Evite o uso desnecessário de água e de produtos químicos, utilizando por mais de um dia suas toalhas de banho e rosto;

• Ligue o ar-condicionado, sempre com portas e janelas fechadas, e ventiladores apenas quando necessário. E, ao sair, desligue tudo e apague as luzes;

• Utilize sacolas reutilizáveis de pano ou papel ao invés dos sacos plásticos nas compras;

• Use um copo com água para escovar os dentes. Pode parecer exagero, mas agindo assim é possível gastar apenas 200 ml de água em vez de 60 l (isso mesmo, sessenta litros), o consumo médio de uma escovação com a torneira aberta;

• Não deixe nada pelo caminho – recolha todo o lixo produzido e separe materiais recicláveis de restos orgânicos;

• Não retire nada no caminho – não recolha conchas, pedras, plantas e animais, pois isso pode prejudicar o ecossistema. A melhor recordação que você pode ter é uma linda foto, além de boas histórias para contar;

• Evite utilizar copos descartáveis e canudos plásticos;

• Procure conhecer a gastronomia da comunidade local, dando preferência aos pratos típicos e frutas da estação;

•    E claro, faça a compensação das emissões de gases de efeito estufa da sua viagem e aproveite os benefícios da Rede Ecopass.

Ecopass: a construir um mundo melhor.