Projeto ENOTUR aposta na sustentabilidade.

Produtores de Vinho Verde Criam Rede de Quintas a Pensar no Turismo Sustentável


Com informações da Publituris.

O Clube de Produtores Monovarietais de Vinho Verde (VVCPM) anunciou a intenção de criar uma rede de quintas vitícolas com vista à promoção de “um turismo direcionado para a sustentabilidade ambiental, social e económica”, capaz de divulgar a região de Monção e Melgaço, que é o território alvo nesta primeira fase do projeto.

De acordo com o VVCPM, o projeto “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” vai ao encontro da “estratégia definida pelo Turismo de Portugal, onde o enoturismo tem, cada vez mais, maior relevância”, motivo pelo qual foi apresentada uma candidatura ao programa Valorizar, no âmbito do Portugal 2020, que se encontra em fase de análise.

“O objetivo é alinhar uma estratégia que una o enoturismo com o turismo sustentável e com as tradições culturais e gastronómicas da região de Monção e Melgaço e do Vinho Verde. Neste sentido, é intento do Clube criar uma marca de cariz ecofriendly, que será depois atribuída aos produtores e quintas da região, com o propósito de credibilizar e promover as boas práticas ambientais que estão a ser aplicadas nas diversas quintas e adegas da região”, lê-se numa nota informativa enviada à imprensa.

O projeto prevê ainda a criação de uma plataforma digital colaborativa que reunirá conteúdos em realidade aumentada, aliando a tecnologia à tradição, história e cultura local, para a qual o VVCPM vai “trabalhar num programa de atividades e ações direcionadas para a vertente ambiental, social, cultural e económica da região, transformando assim os meios existentes num produto turístico atrativo do ponto de vista da sustentabilidade nos seus vários níveis”.

O território dos Vinhos Verdes em Portugal atrai muitos turistas apreciadores de um bom vinho – créditos: reprodução Altominho TV.

Esta plataforma digital vai reunir “diferentes informações, possibilitando ao visitante uma experiência enriquecedora: o acesso a informações de cariz patrimonial e ambiental das diversas quintas, assim como a pegada ecológica, as medidas implementadas e a implementar, os objetivos ambientais e informações sobre os volumes de produção”, explica o VVCPM, referindo que o “visitante ficará ainda contextualizado sobre o território, assim como das ofertas turísticas”.

O “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” apresenta diferentes vertentes e “não ostenta qualquer restrição temporal ou territorial, existindo a possibilidade de, a longo prazo, ser implementado num diferente território vitícola ou alargá-lo a outros produtores interessados”, contando ainda com capacidade para englobar vários setores de atividade turística.

Visto que a sustentabilidade ambiental é o pilar do projeto, “as diferentes entidades terão acesso a um conjunto de informação sobre as boas práticas ambientais, de forma a avaliarem a implementação no seu setor de atividade e assim contribuírem para um turismo mais sustentável”, refere ainda o VVCPM.

No período pós-financiamento o “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” será financiado principalmente através do pagamento de quotas anuais e os produtores ou as associações que se mostrem interessadas em colaborar com esta plataforma podem tornar-se sócios do projeto.

O enoturismo por si só é uma modalidade muito prazerosa e as propostas do ENOTUR tem tudo para deixar o enoturismo em Portugal ainda mais atrativo.  Vale um lembrete aos turistas: para manter a pegada sustentável do turismo é preciso compensar as emissões de gases de efeito estufa. Então faça download gratuito do Ecopass, plante árvores e junte-se a nós na construção de um mundo melhor.

Imagem principal – créditos: Dinheiro Vivo – Lusa.